A amizade é uma predisposição recíproca que torna dois seres igualmente ciosos da felicidade um do outro!.... Platão!..... ..
Código: Aproveite o dia de hoje, viva-o com entusiasmo, alegria e humildade. Você é especial aos olhos de Deus e aos olhos de todos aqueles que lhe amam. Que Deus derrame o seu amor sobre você. !

Não encontrou, procure aqui

2 de nov de 2010

O poder da mente: a meditação é uma excelente alternativa para combater o estresse

Notícias





O poder da mente: a meditação é uma excelente alternativa para combater o estresse

Pesquisas mostram eficácia na luta contra a dor crônica e até como terapia complementar



Cobranças pessoais, pressões profissionais, expectativas não atendidas, anseios sufocados, horas demais dedicadas aos afazeres, tempo de menos para si próprio. É assim que a vida contemporânea tende a se apresentar para a maioria das pessoas. A conta do caos chega em algum momento, e ninguém está livre dos efeitos do turbilhão gerado por um cotidiano tão frenético.



O desequilíbrio diário causa exaustão física e mental, compromete a atenção e a concentração, coloca a imunidade à prova e nos deixa vulneráveis a diversos males. O presente passa despercebido. O corpo e a mente, sempre a mil com frustrações do passado e projeções para o futuro, padecem. A meditação, técnica usada há milênios pelos médicos, vem ganhando cada dia mais espaço no Ocidente como um meio eficaz de prevenir e até mesmo remediar males físicos e emocionais. A ciência tem produzido estudos em diversas partes do mundo comprovando os benefícios da prática.



O que é meditação, afinal? Ao contrário do que muitos imaginam, meditar não é privar a mente de todo e qualquer pensamento, mas aprender a cultivar ideias e emoções positivas. De acordo com a instrutora de meditação transcendental Teresa Castilho, trata-se de uma técnica simples, que pode ser adotada independentemente de fé ou religião. A prática aprimora o pensar de maneira tão intensa que é possível alcançar o repouso mental, no qual o corpo responde aos impulsos da mente com um relaxamento profundo.



Teresa sustenta que, quando se medita, a mente refina o pensamento, produz ordem cerebral, aumentando a coerência entre as quatro ondas cerebrais — beta, alfa, delta e theta. Durante a meditação, diferentes partes do cérebro funcionam, comunicam-se e ativam regiões menos utilizadas e ociosas dessa estrutura. Os efeitos são variados.



— Conseguimos reduzir o cortisol, hormônio relacionado ao estresse, e aumentamos a serotonina, substância relacionada ao bem-estar. A pressão arterial sistólica diminui. A meditação também influencia na qualidade do sono, na flexibilidade cognitiva e na imunidade — alega.



Estudos



Instigados com os benefícios da meditação, pesquisadores dedicados a estudar o cérebro já produziram mais de 1,6 mil publicações sobre os efeitos da técnica. Um estudo recentemente divulgado pela Universidade de Manchester, no Reino Unido, revela que meditantes regulares suportam melhor a dor, já que o método treina o cérebro para focar no presente.



— Assim, a pessoa não perde tempo em antecipar eventos negativos e sensações desagradáveis. A meditação se tornou um caminho complementar no tratamento de dor crônica, como a da artrite, por exemplo — especifica Christopher Brown, pesquisador que conduziu o trabalho.



A bióloga e pesquisadora do departamento de psicobiologia da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) Elisa Harumi Kozasa explica que a meditação promove coordenação e equilíbrio do sistema nervoso central. A prática reduz o estresse, incrementa o potencial mental e é uma ferramenta para a conquista da qualidade de vida.



— Além disso, existem os efeitos fisiológicos decorrentes do repouso. Quem medita reduz a atividade do sistema nervoso simpático e aumenta a do parassimpático, o que implica relaxamento do corpo e da mente, que passa a buscar melhores meios para enfrentar as dificuldades, sejam elas físicas ou emocionais. Por isso, ela também é usada em pacientes oncológicos, minimizando os efeitos negativos da quimioterapia — revela Elisa.



Sabedoria milenar

A civilização védica era formada pelo povo que compôs os textos religiosos conhecidos como Vedas, no subcontinente indiano.

O território então ocupado por ela corresponde hoje à Índia e ao Paquistão. De acordo com alguns estudiosos, essa civilização se desenvolveu entre 2 mil e mil anos antes de Cristo, mas a tradição hindu considera uma data mais remota, no quarto milênio a.C.



Tipos



Meditação dinâmica

» Criada pelo mestre Osho, na Índia, é praticada mediante movimentos, danças, sons específicos e posições imóveis, como meio para deixar a mente serena, evitando pensamentos negativos



Meditação cristã

» Baseada nos ensinamentos do monge beneditino John Main.

Essa meditação tem seu eixo central na repetição da palavra “maranatha”, que significa “Vem, Senhor”



Meditação yoga (raja)

» Originada dos ensinamentos de Patanjali (sábio da antiga Índia),

que propôs o uso da mente como instrumento para alcançar a espiritualidade mediante um método exigente quanto à meditação e à concentração



Meditação transcendental

» Descrita como um processo simples, natural e sem esforço. A técnica permite um mergulho interior, a fim de experimentar o reservatório silencioso de energia, criatividade e inteligência encontrado dentro de cada pessoa — um estado natural de alerta em repouso



ZERO HORA

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário.